segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Nossa Senhora do Novo Caminho

De repente, após 2 anos sem pintar, eis que surgiu a inspiração e o resultado foi este:  um retrato de Nossa Senhora do Novo Caminho, a padroeira do santuário que o queridíssimo Padre Antonio Maria está construindo nas terras do Mosteiro Aim Karin.

Pintar essa tela  foi um desafio, pois eu não tinha um parâmetro para o rosto, e ao longo do processo de criação acabei refazendo mais de uma vez, pois a cada tentativa "algo" me dizia que não era daquele jeito, e eu apagava tudo e recomeçava. Foram  algumas noites em clar, e o resultado foi este:
Não é uma obra de arte perfeita, visto que sou uma mera artista autodidata, mas com certeza é uma obra de amor, que fiz com reverência e carinho. E - é claro! - dei de presente ao Padre Antonio Maria e Irmãs do Mosteiro.

Agora já estou com novo projeto, que é pintar  o meu amado São Miguel Arcanjo para colocar sobre a lareira de meu sítio.

Já pintei São Miguel outras vezes, uma deles  como um gigante em estilo cusquenho (foto acima), e que hj se encontra com um grande amigo que, aliás, possui toda uma série que pintei no estilo contemporâneo, a qual chamei de SÉRIE SUCATA (foto abaixo). Foram os únicos painéis que pintei nesse estilo, mas... Minha veia criativa anda  dando sinal de vida, e até o final do ano penso que  teremos novidades.

Aguardem...

Gente linda

Já saiu  no PORTAL SEM FRONTEIRAS a Edição 23 - maio a julho - do JORNAL SEM FRONTEIRAS. Minha coluna "Um dedinho de prosa" está na pagina 32. Confiram!!!

Beijokas estaladas!!

Sandra

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

quinta-feira, 14 de julho de 2016

24ª BIENAL INTERNACIONAL DO LIVRO DE SÃO PAULO



Coletânea Internacional Bilíngue

 SEM FRONTEIRAS PELO MUNDO


Estarei lá autografando o livro, no qual participo, e conto com a presença de todos vocês.

Bjs
Sandra

segunda-feira, 4 de julho de 2016

Um dia de Paz e muita Luz para todos vocês!!

video

quinta-feira, 16 de junho de 2016

quinta-feira, 7 de abril de 2016

SER SENSÍVEL...


"Ser sensível nesse mundo requer muita coragem. Todo dia. Esse jeito de ouvir além dos olhos, de ver além dos ouvidos, de sentir a textura do sentimento alheio tão clara no próprio coração e tantas vezes até doer ou sorrir junto com toda sinceridade. Essa intensidade toda em tempo de ternura minguada. Esse amor tão vívido em terra em que a maioria parece se assustar mais com o afeto do que com a indelicadeza. Esse cuidado espontâneo com os outros. Essa vontade tão pura de que ninguém sofra por nada. Essa saudade, que às vezes faz a alma marejar, de um lugar que não se sabe onde é, mas que existe, é claro que existe. Essa vontade de espalhar buquês de sorrisos por aí, porque os sensíveis, por mais que chorem de vez em quando, não deixam adormecer a idéia de um mundo que possa acordar sorrindo. Pra toda gente. Pra todo ser. Pra toda vida.
Eu até já tentei ser diferente, por medo de doer, mas não tem jeito: só consigo ser igual à mim".


- Texto de Ana Jácomo -

*(Na foto, estou no campo, em uma tarde muito fria, nos arredores de Roma, olhando essa casa em ruínas entre oliveiras...)


- Sandra H. -